Pesquisa revela como a comunicação interna pode aumentar a produtividade das empresas brasileiras

Pesquisa comunicação interna proofut

Segundo o 8° Relatório Anual de Produtividade Proudfoot, as empresas brasileiras poderiam obter maiores ganhos com produtividade, mas enfrentam graves problemas, como por exemplo a de comunicação interna. A pesquisa mostra que as empresas poderiam aumentar sua produtividade em 17,7% em dois anos, e que os gestores acreditam que suas empresas chegaram a 85% destes ganhos.

Porém, segundo os gestores entrevistados, para que se consiga atingir esses números as empresas precisam vencer o maior dos entraves de produtividade que eles próprios julgam ser a comunicação interna. E foi pensando nesse problema que surgiu a plataforma ÁGIL SOCIAL, pois na era da informação, perder qualquer tipo de informação que seja não é interessante para as organizações.

Hoje já há redes sociais corporativas que possibilitam total integração de todos colaboradores da empresa utilizando uma comunicação mais rápida e eficaz. Com essas redes é possível o empresário se concentrar em seu negócio, enquanto a rede social cuida do resto, com aplicativos que o ajudam a obter mais vendas, receber pagamentos dos seus clientes, engajar colaboradores e tornar seu negócio mais produtivo.

Os gestores brasileiros citaram os problemas de comunicação interna como sendo a principal barreira para obter maior produtividade no mercado. Esta barreira foi mencionada por 47% dos gestores brasileiros, quase o dobro da média global.

Além disto, a baixa moral dos funcionários e da motivação foi a segunda principal barreira aos ganhos de produtividade citada pelos gestores brasileiros. A seguir vieram os problemas com as tecnologias de informação e de comunicação, a falta de vontade da gestão sênior em implementar programas de mudança, e a falta de alinhamento entre o desempenho do funcionário e métricas de bônus e objetivos corporativos.

Ficou com alguma dúvida sobre produtividade com redes sociais corporativas? Deixa sua pergunta nos comentários.

 

Comments