Plataforma Social Corporativa. Tendência ou realidade?

Plataforma Social Corporativa. Tendência ou realidade?

A grande maioria dos funcionários de uma empresa usa diariamente as mídias sociais como Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest, etc. Ou seja, quase todo mundo sabe como e quando usar as ferramentas dessas mídias na hora de compartilhar ideias, opiniões pessoais e informações relevantes para seu grupo social.

A partir desse fato, é fácil saber porque muitas empresas adotaram uma plataforma social corporativa para alimentar o compartilhamento de informações e a interação entre suas equipes de funcionários.

Nova Realidade: Os gestores do futuro!

Os gestores finalmente perceberam que para manter uma empresa empreendedora, inovadora, criativa e competitiva no mercado, não deveriam inibir seus funcionários; pelo contrário, deveriam sim incentivá-los de maneira inspiradora, para que possam trazer suas experiências práticas em mídias sociais para o cotidiano corporativo. Esse movimento não ocorreu por simples modismo ou vontade de “estar antenado” com os novos tipos de comunicação que se estabeleceram no universo online, mas por uma questão de adaptação ás novas diretrizes globais.

Claro, algumas regras que valem no cotidiano não valem muito no mundo corporativo e vice e versa. É preciso estabelecer diretrizes do que fazer e do que não fazer ao usar uma plataforma social corporativa. Isso faz parte do processo de gestão de pessoas, fundamental para que uma equipe esteja sempre integrada. Os profissionais precisam usar o velho e bom senso, ser respeitosos e lembrar que falam também em nome da empresa.

O objetivo deve ser o aumento do envolvimento dos funcionários com questões que dizem respeito ao ambiente de trabalho, aos projetos desenvolvidos em equipe, a socialização e as sugestões para o bem estar corporativo.

Formas de uso de uma Plataforma Social Corporativa

  1. As ferramentas colaborativas que existem nas plataformas sociais, também podem ser úteis, por exemplo, na realização de atividades interativas, que visam a integração online de profissionais, ou até para o desenvolvimento colaborativo de um novo produto.
  2. Como estratégia inicial, muitas empresas promovem bate papos descontraídos ou enquetes que aparentemente não tem nada a ver com o ambiente da trabalho, mas que servem para conhecer melhor o perfil de cada funcionário, identificar habilidades, descobrir motivações.
  3. Perguntar qual é o tipo de música que mais gostam, quais lugares são ideais para se divertir após o trabalhos ou pedir que postem uma receita bacana para o final de semana, pode ser uma boa forma de ganhar a credibilidade da equipe e conhecer o perfil de cada membro. E, ter esse tipo de avaliação de perfil é algo essencial no desenvolvimento de novos projetos.

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas mídias sociais!

Comments